Sinais de que chegou a hora de formatar o computador

Sinais de que chegou a hora de formatar o computador

Lentidão… Travamentos… Vírus… Pane geral… … a temida Tela azul! Fim da linha, é hora de formatar seu computador. Estes são os sinais mais óbvios de que é hora de recomeçar sua máquina do zero.

Mas há outras razões que indicam o momento de resetar o PC.

Se você for vender ou doar o equipamento, trocar alguns hardwares ou, por exemplo, quiser mudar a versão do Windows, estas também são razões que indicam motivo para formatar o computador. Mas antes de tomar qualquer decisão, o mais indicado é conversar com um técnico em informática, dizer exatamente o que está acontecendo com a sua máquina e esperar o diagnóstico.

Além da notável lentidão e travamentos, a presença de vírus é outro indício forte de que a máquina precisa ser recomposta. Recentemente, a empresa de segurança digital Kapersky, fez uma lista de como identificar a infecção por um malware. Se você notar bloqueios inesperados, atividade elevada do disco rígido – que pode ser percebida pelo próprio acionamento da ventoinha quando você está apenas fazendo atividades normais, janelas estranhas indicando problemas de acesso ao sistema, programas que abrem sozinhos ou não respondem aos seus comandos e até a desativação inesperada do seu antivírus, pode apostar, é quase certo que seu computador esteja infectado.

Há quem prefira tentar outras alternativas antes de partir para a formatação da máquina. Você pode, por exemplo, tentar uma solução de segurança diferente para limpar vírus mais comuns; algumas telas de erros mais simples ou problemas com drivers também podem ser resolvidos sem a necessidade de formatar. Acredite, formatar nem sempre é a melhor opção…

Se depois de uma análise e até consulta com um especialista a decisão for mesmo formatar o computador, alguns cuidados básicos podem garantir que a solução não se transforme em um problema ainda maior.

A formatação é certamente uma saída mais rápida do que, muitas vezes, tentar ficar caçando um problema difícil de ser identificado. Mas, como dissemos, é preciso fazer uma análise do equipamento primeiro e ter certos cuidados. Para quem preferir formatar seu computador por conta própria, além dos cuidados já mencionados, é bom ter algum conhecimento de informática também. Além do backup, certifique-se que a versão do sistema operacional que você tem para instalar é compatível com o equipamento e também que se vai ser possível (e fácil) recuperar todos os programas que você está acostumado a usar.

As novas versões dos sistemas operacionais, especialmente o Windows, trazem funcionalidades úteis e sofisticadas. Mas, normalmente, exigem mais do processamento da máquina. Computadores mais antigos – entre 5 e 7 anos – dificilmente suportam essas atualizações e o primeiro sinal de que isso aconteceu é uma irritante lentidão da máquina. Se este for o caso, mesmo com uma formatação, a performance original do computador não vai ser mais recuperada. E você vai ter que escolher: continuar com o sistema operacional antigo, investir na máquina ou trocar de computador.

Dúvidas sobre seu computador a MILK Systems está a toda disposição.

Fonte: Olhar Digital
Risco de vírus em computadores de empresas no Brasil só aumenta

Risco de vírus em computadores de empresas no Brasil só aumenta

De acordo com uma nova pesquisa divulgada pela Avast, 15% dos computadores de empresas no mundo todo correm risco de infecção por vírus. No Brasil, especificamente, mais de dois em cada dez computadores corporativos (21%) estão atualmente em risco.

Conforme relatório da Avast, aumenta o risco de vírus em computadores de empresas no Brasil

As descobertas foram divulgadas no Relatório Global de Riscos para PC 2020 da Avast. A companhia analisou, por meio de inteligência de ameaças e detecção, a frequência dos ataques cibernéticos direcionados a PCs dentro de redes corporativas. De acordo com os dados do levantamento, a chance mundial de infecção por qualquer tipo de malware – isso inclui ameaças simples e avançadas – para um computador corporativo aumentou 4% no ano passado.

Embora as chances das empresas serem alvo de uma ameaça avançada sejam menores, a proporção é semelhante a todas as ameaças, com empresas com 5% (3% no ano anterior) de encontrar uma ameaça avançada e consumidores com 7% de chance ( 6% no ano anterior). Apesar do número de ameaças avançadas ser menor que o número de ameaças simples, elas representam as mesmas ameaças. As ameaças avançadas incluem malware disseminados por Estados nacionais, malware com empacotadores personalizados e recursos anti-emulação. Eles geralmente provêm de grupos criminosos que se concentram em taxas de infecção bem-sucedidas, garantindo que o malware que criam contorne a maioria das soluções de segurança que os usuários possuem.

“A taxa de inovação nas empresas é superada apenas pelo cenário de ameaças globais em rápida evolução. Infelizmente, isso significa que as empresas estão mais propensas a enfrentar crimes cibernéticos hoje, do que há apenas 12 meses atrás”, diz Luis Corrons, Evangelista de Segurança da Avast. “As empresas precisam adotar uma abordagem de segurança em camadas, para garantir a proteção na rede e nos endpoints como forma de mitigar as ameaças prevalentes e avançadas descritas em nosso relatório”.

Ranking de países com maior risco de infecção por vírus em computadores de empresas

No Vietnã, 46% dos PCs corporativos correm risco de ataques de malware, seguidos por 38% dos PCs corporativos em Bangladesh e por 35% na Indonésia.

Por outro lado, Irlanda, Suécia e Finlândia registraram a menor taxa de risco para empresas globalmente em 2019. Entre esses países, a Irlanda é sem dúvida o país com o menor nível de ameaça, sendo de apenas 11%. Notavelmente, essa taxa de risco aumentou a partir de 2018, quando três principais países de menor risco, Estados Unidos, Países Baixos e Irlanda, atingiram níveis de risco entre 8% e 9%.

O Reino Unido é o quarto país de menor risco, com 11% dos PCs corporativos em risco de exposição a malware. Em seguida, aparecem Japão, Dinamarca, EUA e Austrália, onde entre 11% e 12% dos computadores de empresas correm risco de infecção por vírus.

tabela paises infeccao por malware

Com centenas de milhões de usuários em todo o mundo, a Avast certamente possui uma das maiores redes de detecção de ameaças da indústria de segurança cibernética.

Metodologia

Inteligência de Ameaças: Este relatório é baseado em dados obtidos pela rede de detecção de ameaças da Avast entre setembro e outubro de 2019. Para fornecer dados estatisticamente relevantes, o relatório inclui dados de países, territórios e regiões com um tamanho de amostra de pelo menos 1.000 computadores usados por empresas.

Taxa de Risco Global: Para calcular as taxas de risco para o relatório, a Avast dividiu o número de computadores em que as camadas de proteção da Avast interromperam pelo menos uma ameaça pelo número total de computadores que a Avast protegeu ativamente no período de 30 dias.

Via: SeuCreditoDigital

Para garantir a segurança de nossos clientes corporativos, nós da MILK Systems disponibilizamos o MILK Defender, um antivírus gerenciado. Clique aqui para saber mais.

Golpe com vírus CamuBot usa nome de bancos e faz vítimas no Brasil

Golpe com vírus CamuBot usa nome de bancos e faz vítimas no Brasil

Mais sofisticado que os trojans bancários comuns, malware pode até driblar mecanismos de autenticação biométrica

Um novo vírus bancário tem atacado os clientes corporativos de instituições financeiras do Brasil. CamuBot, como é chamado o malware, se camufla como um módulo de segurança requerido pelo banco alvo do ataque e engana a vítima para roubar suas credenciais bancárias.

A primeira atividade do malware foi detectada no mês passado e a divulgação foi feita por pesquisadores do IBM X-Force na última terça-feira (4). Desde então, os criminosos têm dirigido ataques tanto a empresas privadas quanto a organizações públicas. Ao contrário da maioria dos trojans bancários, o CamuBot não se esconde no sistema. O vírus, além de usar o logotipo do banco, possui a mesma aparência de um internet banking, levando a vítima a crer que está instalando um aplicativo oficial.

Vírus CamuBot usa esquema sofisticado para roubar dados bancários no Brasil — Foto: Pond5

Segundo os investigadores, o CamuBot é muito mais sofisticado que os malwares usados em esquemas de fraude no país até então. “Em vez de simples telas falsas e uma ferramenta de acesso remoto, as táticas do CamuBot se assemelham àquelas usadas por malwares fabricados na Europa Oriental, como TrickBot, Dridex ou QakBot”, explicam os especialistas em um post no site da IBM.

Entenda como funciona o ataque

O golpe envolve ferramentas de engenharia social bastante complexas. Inicialmente, os operadores do CamuBot identificam, por meio de uma pesquisa básica, empresas que façam negócios com a instituição bancária alvejada. Em seguida, ligam para a pessoa que provavelmente teria as credenciais da conta bancária da empresa.

Passando-se por funcionários do banco, os criminosos induzem a vítima a visitar um site falso para verificar se o módulo de segurança está atualizado. Como parte da armadilha, a verificação de validade aparece negativa, e os operadores do vírus indicam o download e instalação de um “novo” módulo para resolver o problema.

Disfarçado de módulo de segurança, o CamuBot exige privilégios de administrador como pré-requisito para instalação — Foto: Divulgação/IBM X-Force

O CamuBot é executado no computador da vítima logo que a instalação começa, por trás da interface do aplicativo falso. Para driblar antivírus e firewalls e parecer seguro, o malware, que possui privilégios de administrador, adiciona a si mesmo à lista de programas aprovados. Além disso, o nome do arquivo baixado e a URL do site mudam a cada ataque.

Após a instalação, o usuário é redirecionado para um site de phishing que se parece com um portal de internet banking. O ataque se completa quando a vítima faz login em sua conta bancária, entregando, sem saber, suas credenciais ao invasor.

Enquanto a instalação do módulo de segurança falso é concluída, o vírus se aloja no computador da vítima — Foto: Divulgação/IBM X-Force

Outro diferencial preocupante do CamuBot é a sua possibilidade de driblar autenticações biométricas, recurso de proteção considerado confiável. De acordo com o IBM X-Force, o vírus é capaz de buscar e instalar drivers para dispositivos de autenticação em duas etapas, levando as vítimas a ativarem o acesso remoto. Isso permite que o invasor intercepte senhas de uso único e realize transações fraudulentas sem levantar desconfiança do banco.

Recomendações

Atualmente, o CamuBot tem como alvo os correntistas de empresas no Brasil. Como o ataque é difundido por telefone, suspeite de ligações e peça ao suposto autor da chamada do banco para ligar de volta. Em seguida, ligue para o seu banco com o número que você tem no seu cartão e informe-o sobre o telefonema não solicitado.

Até o momento, os investigadores do IBM X-Force não detectaram ataques do CamuBot fora do país, mas alertam que isso pode mudar.


Fonte: techtudo