22% dos PCs ainda rodam Windows 7 e podem estar em perigo; entenda

22% dos PCs ainda rodam Windows 7 e podem estar em perigo; entenda

Um levantamento da Kaspersky, empresa especializada em segurança digital, revelou que 22% dos computadores do mundo ainda estão rodando o Windows 7. A popularidade do sistema operacional, principalmente entre o mercado corporativo, pode servir como uma boa porta de entrada para ataques, já que a plataforma foi descontinuada pela Microsoft em janeiro de 2020 e não recebe mais atualizações de segurança.

Números adicionais da pesquisa mostram que, além de quase um quarto dos computadores do mundo operam desta forma defasada, com outros quase 1% dos usuários ainda conectados a plataformas ainda mais antigas, como Windows XP e Vista. Em todos os casos, o perigo envolve a ausência de correções para falhas de segurança conhecidas, disponíveis somente no Windows 10.

A Kaspersky alerta ainda para o fato de muitos destes sistemas operacionais defasados estarem rodando em estruturas de micro, pequenas e médias empresas, que não têm departamentos de tecnologia dedicados ou plataformas robustas de proteção. São, apontam os especialistas, as organizações mais vulneráveis aos ataques, com uma atualização do inventário sendo a principal recomendação nesse sentido.

“Imagine que sua casa está velha e caindo aos pedaços; instalar uma porta nova não trará nenhum benefício”, explica Dmitry Bestuzhev, diretor da equipe de pesquisa e análise da Kaspersky na América Latina. Ele aponta a necessidade de updates como fator essencial, apesar dos custos envolvidos, da familiaridade dos colaboradores e da percebida estabilidade de sistemas antigos. “[Atualizar] é a atitude correta a ser adotada para garantir a segurança e a confiabilidade dos dados, já que o custo de um incidente pode ser substancialmente maior.”

Por outro lado, os pesquisadores apontam para o fato de que 74% dos computadores do mundo estão rodando o Windows 10, o que significa que podem receber as atualizações de segurança mais recentes. Essa, então, é a segunda recomendação, com a aplicação de updates voltados para proteção e solução de bugs sendo essencial para manter o parque tecnológico à salvo das ameaças mais comuns.

Mesmo para estes, a dica é manter sistemas de download e instalação automática de updates sempre habilitados e programados de acordo com a rotina de trabalho. Além disso, é importante manter sistemas de proteção, como antivírus e firewalls, sempre atualizados e ativos, já que eles também ajudam na proteção contra as ameaças mais comuns.

Fonte: CanalTech
Sinais de que chegou a hora de formatar o computador

Sinais de que chegou a hora de formatar o computador

Lentidão… Travamentos… Vírus… Pane geral… … a temida Tela azul! Fim da linha, é hora de formatar seu computador. Estes são os sinais mais óbvios de que é hora de recomeçar sua máquina do zero.

Mas há outras razões que indicam o momento de resetar o PC.

Se você for vender ou doar o equipamento, trocar alguns hardwares ou, por exemplo, quiser mudar a versão do Windows, estas também são razões que indicam motivo para formatar o computador. Mas antes de tomar qualquer decisão, o mais indicado é conversar com um técnico em informática, dizer exatamente o que está acontecendo com a sua máquina e esperar o diagnóstico.

Além da notável lentidão e travamentos, a presença de vírus é outro indício forte de que a máquina precisa ser recomposta. Recentemente, a empresa de segurança digital Kapersky, fez uma lista de como identificar a infecção por um malware. Se você notar bloqueios inesperados, atividade elevada do disco rígido – que pode ser percebida pelo próprio acionamento da ventoinha quando você está apenas fazendo atividades normais, janelas estranhas indicando problemas de acesso ao sistema, programas que abrem sozinhos ou não respondem aos seus comandos e até a desativação inesperada do seu antivírus, pode apostar, é quase certo que seu computador esteja infectado.

Há quem prefira tentar outras alternativas antes de partir para a formatação da máquina. Você pode, por exemplo, tentar uma solução de segurança diferente para limpar vírus mais comuns; algumas telas de erros mais simples ou problemas com drivers também podem ser resolvidos sem a necessidade de formatar. Acredite, formatar nem sempre é a melhor opção…

Se depois de uma análise e até consulta com um especialista a decisão for mesmo formatar o computador, alguns cuidados básicos podem garantir que a solução não se transforme em um problema ainda maior.

A formatação é certamente uma saída mais rápida do que, muitas vezes, tentar ficar caçando um problema difícil de ser identificado. Mas, como dissemos, é preciso fazer uma análise do equipamento primeiro e ter certos cuidados. Para quem preferir formatar seu computador por conta própria, além dos cuidados já mencionados, é bom ter algum conhecimento de informática também. Além do backup, certifique-se que a versão do sistema operacional que você tem para instalar é compatível com o equipamento e também que se vai ser possível (e fácil) recuperar todos os programas que você está acostumado a usar.

As novas versões dos sistemas operacionais, especialmente o Windows, trazem funcionalidades úteis e sofisticadas. Mas, normalmente, exigem mais do processamento da máquina. Computadores mais antigos – entre 5 e 7 anos – dificilmente suportam essas atualizações e o primeiro sinal de que isso aconteceu é uma irritante lentidão da máquina. Se este for o caso, mesmo com uma formatação, a performance original do computador não vai ser mais recuperada. E você vai ter que escolher: continuar com o sistema operacional antigo, investir na máquina ou trocar de computador.

Dúvidas sobre seu computador a MILK Systems está a toda disposição.

Fonte: Olhar Digital